terça-feira, 26 de março de 2019

"I rest my case"!...

A grande família socialista e a hipocrisia dos restantes aristocratas do regime


«Concordo com as críticas que têm sido feitas à excessiva predominância de laços familiares no governo de António Costa, com ramificações no Parlamento, em empresas públicas e noutros domínios da vida pública portuguesa.

Não se trata de questionar a competência de A ou B. Trata-se, acima de tudo, de questionar o processo de selecção, que numa sociedade democrática não se pode assemelhar ao de uma monarquia.

Contudo, há uma dúvida que me assalta (literalmente): como é que isto é diferente dos favorecimentos que, ao invés da consanguinidade, privilegiam as famílias partidárias? Ética e moralmente, qual é a diferença os entre laços familiares do executivo socialista e os laços partidários que tomam de assalto inúmeras autarquias deste país, da administração das mesmas até ao controle absoluto das mais variadas prestações de serviços, pela via do ajuste directo, por um grupo restrito de amigos do poder?

Posto isto, o que se passa hoje no governo é mais grave do que a decisão da ministra Cristas de nomear uma série de militantes do seu partido para tomarem conta da Parque Expo? E quando a Segurança Social foi preenchida por boys e girls do executivo Passos Coelho? E quando as mais variadas empresas e organismos públicos foram literalmente ocupados por boys de José Sócrates, Durão Barroso, António Guterres ou Cavaco Silva? Qual é a diferença, se o critério por trás do favorecimento é exactamente o mesmo?

Investiguem o que se passa nas vossas autarquias, caros leitores. Vão ver quantos jotas, amigos e militantes do partido do vosso presidente de câmara foram nomeados ou agraciados com empregos que, em muitos casos, nem sequer existiam.

Vão ver quem são os beneficiários dos ajustes directos, em particular aqueles com valores tipo 74.990€, que, coincidência das coincidências, conseguiram evitar a abertura de um concurso público, obrigatório, para certos serviços, a partir de montantes de 75 mil.

Vão ver quem são as empresas que organizam os concertos ou quem a vossa autarquia chama sempre que precisa de materiais gráficos. E de seguida investiguem quem organizou os concertos e produziu os materiais gráficos das suas campanhas eleitorais.

A rede de favorecimentos politico-partidários é um cancro que metastizou um país inteiro, que sustenta, ad eternum, as mesmas elites políticas de sempre. E muitos daqueles que agora apontam o dedo ao governo, não conhecem outra forma de vida que não seja a de parasitas do erário público. Mas quem vive acima das suas possibilidades, caro leitor, é você.»
(26/03/2019 by João Mendes, in Aventar)

Mais palavras para quê?!...
"I rest my case"!...

Até breve

sexta-feira, 8 de março de 2019

Que a Liberdade esteja sempre a passar por aqui!...

 "Há três anos. Grávida da minha filha mais nova. Feliz dia da mulher"

Oxalá se cumpram os desejos de Joana!

Que a Liberdade esteja sempre a passar por aqui!...

Até breve

domingo, 2 de dezembro de 2018

Faço meus os desejos de Rui Calafate!...


Vi uma série de nativos rejubilar com o facto de Portugal ser outra vez o melhor destino do mundo. Excepcional para o Turismo e tanto dependemos dele. Mas neste melhor destino do mundo demorou-se uma semana para retirar pessoas mortas pela derrocada de uma estrada sem que qualquer poder público se responsabilizasse. Neste melhor destino do mundo estão pessoas em marquesas nos corredores de hospitais sem o tratamento que necessitam. Por isso, desejo que nenhum turista passe por Borba ou por um hospital para não perder a ilusão de que está no melhor destino do mundo.
Boa noite e até amanhã

Faço meus os desejos de Rui Calafate!...
Até breve

sexta-feira, 9 de novembro de 2018

Vai por anjo na próxima procissão da Senhora da Agonia!!!...



A Emilinha Cerqueira, não sendo capaz de resistir o cerco de que estará a ser "vítima", coitadinha, diz que foi "sem querer" que usou a "password" do Silvano!...

Vai por anjo na próxima procissão da Senhora da Agonia!!!...

Até breve

sábado, 3 de novembro de 2018

domingo, 28 de outubro de 2018

Estou contigo Viriato!...



«Notificação recebida agora mesmo, no meu telemóvel: "Bolsonaro vence em todas as mesas de voto de Lisboa". Espero que estes eleitores apanhem já amanhã o primeiro voo para o Rio de Janeiro. Ou prá puta que os pariu.»

Estou contigo Viriato!...

Até breve

quarta-feira, 24 de outubro de 2018

Uns cágados cagados pela mãe que os pariu!...





por António Fernando Nabais

«A imagem é do Jornal de Notícias, um dos muitos jornais que acreditam ter adoptado o acordo ortográfico, optando, ainda assim, por acentuar graficamente a terceira pessoa do singular do presente do indicativo do verbo “parar”.

No meio das muitas facultatividades delirantes (porque, em ortografia, o aumento de facultatividades é delirante), o chamado acordo ortográfico, aqui, é muito claro: “(…)deixam de se distinguir pelo acento gráfico: para (á), flexão de parar, e para, preposição” (Base IX, art. 9º). Ler mais deste artigo

É por isso que cada vez mais rendo a minha homenagem aos mentores do NAO...

Uns cágados cagados pela mãe que os pariu!...

Até breve